Este site utiliza o plugin Flash Player 8, clique aqui para instalar.
PRESS
Previsões agrícolas do INE

Previsões agrícolas do INE Setembro/08



As previsões agrícolas do INE apontam para uma campanha cerealífera com produções superiores à média dos últimos cinco anos mas de fraca qualidade.

Também de qualidade inferior se apresentam os tubérculos de batata numa campanha marcada ainda pelo decréscimo de produção e por dificuldades de escoamento.

Nos pomares, perspectivam-se aumentos nos rendimentos unitários das pereiras e quebras nas macieiras e nos amendoais.

 

Superfície de milho de regadio aumenta pelo segundo ano consecutivo

As previsões apontam para um acréscimo da área cultivada na ordem dos 5%, continuando a cultura a beneficiar de um bom nível de humidade no solo, decorrente das intensas precipitações registadas em Abril e Maio.

 

Manutenção dos rendimentos unitários do arroz e milho de sequeiro

As produtividades do arroz e milho de sequeiro deverão ser próximas das registadas no ano transacto.

 

Produtividade da batata de regadio decresce 10%

A revisão em baixa do nível de produtividade da batata de regadio resulta dos prejuízos causados pelos problemas fitossanitários que, não obstante o aumento da frequência dos tratamentos, não foi possível debelar. Desta forma, a actual campanha deverá saldar-se, não só por um decréscimo da produção como também por uma qualidade inferior. De referir ainda que o baixo preço à produção está a causar dificuldades ao escoamento.

 

Campanhas do tomate e do girassol para indústria sem problemas

Quanto às culturas destinadas à indústria, regista-se um aumento de 10% na produtividade do girassol e a manutenção do rendimento unitário do tomate para indústria.

 

Pomares de pêra mais produtivos

Nas pomóideas, a produtividade dos pomares de macieiras que já haviam sido afectados pela queda de granizo em algumas regiões, evidenciam os efeitos resultantes dos ataques de “pedrado” (doença criptogâmica provocada pelo fungo Venturia inaquaelis e que ocorre em Primaveras particularmente chuvosas, tornando o seu controle obrigatório) que poderão originar uma depreciação dos frutos. Desta forma prevê-se um decréscimo do respectivo rendimento unitário em 10%.

Em contrapartida, a produtividade da pêra deverá aumentar 25%, face a 2007.

Os pomares de pessegueiro apresentam um rendimento próximo do ano anterior, revelando um bom calibre mas um nível baixo de açúcar e um reduzido poder de conservação.

 

Produtividades da vinha sem alterações

Nas vinhas para vinho as previsões apontam para produtividades idênticas às do ano anterior, embora em termos regionais ocorram tendências distintas, com expectativas de aumentos no Douro e decréscimos no Alentejo.

A uva de mesa, apesar das condições não terem sido muito favoráveis, não foi particularmente afectada prevendo-se também a manutenção do rendimento unitário, face à vindima anterior.

 

Produtividade da amêndoa continua em queda

Nos amendoais, a ocorrência de geadas tardias, intensa precipitação e granizo nos meses de Abril e Maio afectaram as principais zonas de produção do país, determinando, pelo terceiro ano consecutivo, uma quebra de produtividade que para esta campanha atinge os 15%.

 

Cereais de Outono/Inverno: Maior produção, menor qualidade

As produções de cereais praganosos são bastante superiores ao ano anterior e registam igualmente valores superiores à média do último quinquénio. Já a qualidade do grão é inferior à campanha transacta ,devido sobretudo às baixas temperaturas e intensa precipitação que originaram situações de “acama” dos cereais e aparecimento de fungos como o oídio e a ferrugem.

 

Batata de sequeiro: Baixos rendimentos e fraco poder de conservação

O excesso de humidade no solo, causado pela intensa precipitação ocorrida na fase final do ciclo, acabou por ser determinante para a quebra de rendimento (-10%) e justifica a fraca qualidade e o baixo poder de conservação do tubérculo.

  

Fonte: INE

04-09-2008